Ser… Ou Não Ser…!

Barata Cichetto

Tem horas em que é muito difícil ser uma barata. Imaginem não poder erguer a cabeça em direção as estrelas, ao céu. Imaginem passar sua existência inteira tendo que caminhar sempre rente ao chão. Queria estar ereto, caminhar sobre duas pernas em lugar das seis patas.

Por outro lado, tem suas vantagens ser uma barata. Não é necessário qualquer espécie de cardápio especial e sempre é possível deslizar por qualquer lugar desejado.

Queria ser um ser humano ao menos por um dia. Poder sentir sensações que apenas humanos sentem, desejos que apenas humanos têm. E vícios que também são exclusivos da humanidade. Fumar, beber, usar drogas e principalmente fazer sexo sem ser por instinto. Fazer sexo pela sacanagem, pela posição social, pelo poder.

Também queria ser humano para poder acreditar em religião, deuses, anjos, essas coisas que alimentam a ilusão humana de que são melhores que baratas.

Queria ser humano ao menos por um dia, ganhar muito dinheiro e conquistar muito poder. Com a inteligência e o instinto que a natureza premiou as baratas, decerto dominaria o planeta.

E então, com o poder e o dinheiro humanos e a inteligência que têm as baratas, perseguiria a todos os humanos com chinelos e inseticidas, ou melhor humanicidas. Exterminaria da superfície do planeta seres tão mesquinhos e egoístas…

/2010

Universo Expandido Ou Impressões e Expressões Baratas Sobre o Processo da Metamorfose de Kafka
Registrado no Escritório de Direitos Autorais da Fundação Biblioteca Nacional sob Nº. 6849/10 

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor. Criador e editor do Agulha.xyz, e co-fundador da Editora Poetura. Um Livre Pensador.
Contato: (16) 99248-0091

Compartilhe!
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!