Arte: Barata

Quantas Estradas Um Homem Precisará Andar, Até Que Possa Ser Chamado de Homem?

Compartilhe!
Barata Cichetto

Caro Bob, tua pergunta, do então jovem Zimmerman, era de quantas estradas precisaria andar um homem, até ser considerado um. E hoje não sei a resposta, mas minha aposta é que não é a estrada que faz um homem, apenas a caminhada.

E sobre as pombas e as bombas, caríssimo Robert, o que podemos responder agora cinquenta e tantos anos depois? A pomba já pode pousar na areia? A bomba já não destrói e incendeia?

A resposta, senhor Allen que não é Ginsberg, não está soprando com o vento, que traz apenas a cegueira na poeira, na qual foi transformada a montanha esfacelada pelo tempo.

Sobre tua pergunta sobre o tempo que demora para alguém enxergar o que não vê, e conseguir a permissão para a liberdade, me parece ser a obviedade, sem qualquer novidade, e pode até ser, sem nada de maldade, a eternidade.

Há décadas espero o soprar do vento das respostas, a brisa da verdade, mas o que me vem é apenas o ensurdecedor ribombar dos trovões da tempestade. Nada de sopro, nada de respostas, nada de brisas.

Desde quando lançastes essas perguntas, muitos ainda esperam o tal soprar, mas a ventania já varreu cidades do mapa, destroçou países inteiros, esfarelou crenças e matou esperançosos de desgosto. Seriam essas mortes aquelas necessárias para que soubéssemos quando parar?

Por fim pergunto, meu caríssimo Bob Dylan, e pergunto a mim mesmo e não a ti, se ainda fazes essas perguntas, se ainda buscas as respostas, ou se os ventos também nunca lhe alcançaram.

A resposta, meu caro Roberto, que não acoberto, não está soprando com o vento. Eu não invento. A resposta, como no dito popular do boteco da esquina é aquela que ninguém gosta, porque parece bosta, é aquela certeira, como bala perdida: assoprar no seu cangote, na sua cacunda e no rego da sua bunda: é um monte de merda que nunca afunda. E que de malícia abunda.

10/06/2024

Soprando no Vento

Quantas estradas um homem deve percorrer
Pra poder ser chamado de homem?
Quantos oceanos uma pomba branca deve navegar
Pra poder dormir na areia?
Sim e quantas vezes as balas de canhão devem voar
Antes de serem banidas pra sempre?
A resposta, meu amigo, está soprando no vento
A resposta está soprando no vento

Sim e por quantos anos uma montanha pode existir
Antes de ser lavada pelos oceanos?
Sim e por quantos anos algumas pessoas devem existir
Antes de poderem ser livres?
Sim e quantas vezes um homem pode virar a cabeça
Fingir que ele não vê
A resposta, meu amigo, está soprando no vento
A resposta está soprando no vento

Sim e quantas vezes um homem deve olhar pra cima
Antes de conseguir ver o céu?
Sim e quantos ouvidos um homem deve ter
Pra poder conseguir ouvir as pessoas chorarem?
Sim e quantas mortes serão necessárias até ele saber
Que pessoas demais morreram?
A resposta, meu amigo, está soprando no vento
A resposta está soprando no vento.

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor. Criador e editor do Agulha.xyz, e co-fundador da Editora Poetura. Um Livre Pensador.
Contato: (16) 99248-0091

Assinar
Notificar:
guest

3 Comentários
Mais Recente
Mais Antigo Mais Votado
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Genecy de Souza
Genecy de Souza
10/06/2024 21:45

Nas muitas estradas que percorri, o vento só me trouxe perguntas para as quais ainda não consegui as respostas. Acho que a pomba branca voou, voou, e morreu na praia.
De desgosto, não de cansaço.
Não me leve a mal, Mr. Dylan, mas a culpa não é sua.

Barata Cichetto
Administrador
Responder a  Genecy de Souza
11/06/2024 12:01

O vento só traz mesmo perguntas.

trackback
10/06/2024 13:53

[…] Leia e Ouça Este Texto em Português […]

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!