Poesia: Barata Cichetto – Queria Saber Chover

Barata Cichetto

 – FUNDADOR

Há tempos que eu não consigo chorar,

Não é por machismo ou não saber orar.

Deixei minhas lágrimas em sua sepultura,

E no caixão de Isaura decretei a ditadura.

 

Há tempos não choro e o rir é muito pouco,

Que penso que sou apenas um pobre louco.

Lágrimas transformo em rancor, o ódio destilo,

E a tristeza é apenas a parte boa do meu estilo.

 

Há tempos não morro, há um ano a última vez,

E nem é tanto, pois antes morria uma por mês.

Chego a invejar a quem chora lágrimas sinceras,

Enquanto árido eu ainda espero por outras eras.

 

Nem a morte é tão forte que me torne pranto,

E nem a sorte e a falta quebram meu encanto.

Ao menos de alegria eu queria poder derramar,

Mas em tempos de chuva, não se entra no mar.

 

Se há tempestades nos teus olhos de princesa,

Nos meus há apenas areia, deserto e a tristeza.

Eu queria chover, e quem me dera ainda poder,

Mas na minha aridez, sofro seco sem entender.

 

Seca agora minha boca e na língua nem saliva,

Então penso nas lágrimas que te mantém viva.

Queria saber chorar, quem sabe quando morrer,

Eu chore de mim, de tanta pena por não sofrer.

 

19/12/2019

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

2 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Isabeau dos Anjos

Eu me encantei com tua poesia Barata, ela me tocou com uma ternura inesperada!

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091