Imagem: Divulgação

Poesia: Barata Cichetto – Quarto de Despejo

Barata Cichetto

 

Minha poesia não é aquela que acreditei que faria,

E muito menos a outra que achei que não poderia.

A minha poesia é a puta que lhe beija no pescoço,

E a amante que lhe chupa até ser apenas o caroço.

 

E minha poesia não é mundana quanto sua desgraça,

Muito menos a piada contada por palhaço sem graça.

A poesia é minha e faço o seu destino ao meu ensejo,

E se não é a que gostaria, é o meu quarto de despejo.

 

07/05/2019

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091