Poesia: Charles Burck – [Termina assim um dia de sonho que eu me recusei a dormir]

Termina assim um dia de sonho que eu me recusei a dormir
a alma posta sobre a cama sente o alivio do corpo
O coração desliga um pouco, e a cabeça queria ser o que o coração pensa
é ilusão achar que somos o que vivemos neste momento,
Lá fora, entre janelas e portas vivemos mil vida paralelas
E em qual delas estamos agora?
E as aves sentaram-se sobre os calendarios enquanto as nuvens se tingem de vermelhos,
E as suas asas refletem laranja e ouro
Das novens dos teus olhos florescem resinas de cores que eu desconheço
A estrela tem o aroma da distancia
A costela do barro vermelho, e a boca associa o ar que respira
Com o perfume da manhã.
Eu estou em mim como a flor de uma ideia
Um livros sendo escrito, e onde cada virgula é um tempo de vida.

Charles Burck
Poeta e Escritor
Rio de Janeiro – RJ
Charles Burck heterônimo de Wilson Costa, autor romancista. Poeta e cronista. Web designer, capista. Livros: O grito, uma história de amor e preconceito; Enquanto te espero; Angustura, nos confins da Solidão, Causos Complicado; entre outros.

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091