Poesia: Lu Genez – [Ela tem uma dor sóbria, característica]

Lu Genez

Ela tem uma dor sóbria, característica

Um sinal de nascença, salobra,

Imprópria pra uso,

por debaixo da derme.

 

Colada ao osso, um câncer desprezível

Por vezes vaza, como algo impuro,

obsceno, vulgar

inapropriado aos olhos.

 

por nada indulgente, à sua pena indigna,

Abstenha-se dela.

 

Não lhe fale de amor

Nem de nenhuma ilusão de crença barata

Anunciada em catálogo de salvação.

Ela conhece demais sobre  partidas

As mentiras

E, toda a sordidez dos homens.

 

Ela tem dentes, rasgos e buracos

Uma dor proba, de se ver no espelho

A pele dilacerada, com requintes de fim.

Confunde-se no vermelho, na carne exposta

No grito atravessado

 

Na morte, de hoje.

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

2 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Eliana Varella

Simplesmente fantástico quase impossível descrever em palavras o impacto que causa ler-te…
És portadora de uma sensibilidade e talento ímpares…👏👏👏👏👏👏❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091