[Cruzamos nossos olhos e civilizadamente nos cumprimentamos]

Charles Burck

 – MEMBRO FUNDADOR

Cruzamos nossos olhos e civilizadamente nos cumprimentamos, 

A boca tremeu uma palavra, mas vivemos em tempos de silêncios, 

Qualquer coisa que disséssemos não acrescentaria nada, 

Desenvolvemos o dom de vivermos contemporaneamente, 

Sabermo-nos no mesmo espaço de tempo-terra, provavelmente isso trouxesse a ideia de consolo, 

Mas o corpo tem chamas não tão comportadas, vias vicinais de encontrar a estrada principal

E a expansão do desejo viaja por longas valas cavadas nas inconsciências 

Quantas estranhas leviandades no impomos em nome de pressupostas defesas de posicionamentos

Há alguma incoerente forma de masoquismo de bebermos da marginalidade da sevicia da dor, 

Um prego na testa com anúncio posto, estou te vendo, mas finjo que não te encontro 

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Lu Genez

sempre maravilhoso te ler. obrigada.

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091