[As paredes são cinzas, tudo é frio]

Lu Genez

 – MEMBRO FUNDADOR

Esse quarto nada tem nada de engraçado,
As paredes são cinzas, tudo é frio.
Parece que só existe uma porta,
Não mais do que uma única saída.
Uma luz tímida, lutando corajosamente contra essa escuridão.
É só uma visão deturpada e bastante míope de quem sou.
Tenho um nome, um vida e uma identidade,
Pena que não viu, preferiu assim,
Ruir.
Limitou-se a apresentações pequenas,
reduziu-me a tanto na mesquinharia de sua preferência,
por anos demais, um quadro, um quarto sem janela.
Só um aviso, eu existo.
Sou mais do que pensa, mais do que a identificação falha de sua fala
Não sou a coadjuvante de ninguém.
Nenhum negativo que não foi revelado,
Porque a foto ficou ruim.
Meu álbum é colorido demais.

Nasci de um útero igual,
Alguns alelos, cromossomos, genes,
DNA compatível, só isso.
Nesse canto, que é só um lugar de abraço,
Sou grande
E você sequer me dá o nome,
Que pena.
Eu não sou só, a irmã gêmea de alguém que julga grandioso,
Que ao final, não passa de um personagem de desenho animado.
Foi assim, que perdeu meu melhor
O brilho do olho, minha poesia, meu verso minha rima.
A estrada onde vôo livre, sou quem sou
Não precisa mais me apresentar,
Sou de Ares, me sei.
Eu me apresento.

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091