O Monstro e o Médico

Compartilhe!

Barata Cichetto


— O senhor entende, doutor… O drama que tenho passado desde aquela manhã em que acordei assim? Não tenho braços nem pernas, agora tenho patas… Tenho antenas, um cheiro horroroso, nauseabundo… As pessoas fogem de mim, têm nojo… Sou… Sou um inseto monstruoso… Uma…

O médico nada responde, o que aumentava ainda mais o desespero de K.. Ato contínuo, com um gesto retira a máscara que lhe cobre o rosto e depois as luvas e o jaleco…

— Eu não o acho nem um pouco monstruoso, senhor K.! — Diz o médico exibindo a um atônito K. a imagem do ser que ele abominava: era também ele o médico, uma barata.

/2010

Universo Expandido Ou Impressões e Expressões Baratas Sobre o Processo da Metamorfose de Kafka
Registrado no Escritório de Direitos Autorais da Fundação Biblioteca Nacional sob Nº. 6849/10 

Luiz Carlos Giraçol Cichetto, Araraquara, SP, é escritor, poeta e Livre Pensador, um dia acordou de sonhos intranquilos e se transformou em Barata.

Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!