Lu Genez – [Vossa alteza, aqui não é o seu castelo]

Compartilhe!

Lu Genez


Vossa alteza, aqui não é o seu castelo, tudo a volta é um grande chiqueiro.
Não gastem louros e pós de mirra, não acendam incensos
Não lhe lavem os pés e outras partes pudendas do corpo
Os sabonetes não limpam mentiras em lábios sujos.

Os porcos e os ratos rotos, seguem rumo ao luxo do lixo
Comem pedras cinzas, julgando ser de brilho puro.
O pó do ouro é o mesmo pó dos tolos, que é o mesmo que se esconde nas frestas e nos tapetes.
Não se há lençóis limpos, nas camas das prostitutas do reino.

Há momentos para se ficar onde está, outros para correr pelas florestas brancas
fugir descalço antes que os sapatos lhe machuquem os pés,
E lhe saltem familiares bolhas de águas fecundas.
Corra princesa, corra, tão rápido quanto os velozes leões famintos
Proteja suas carnes, dos falos, dentes e dedos pontudos.

Nem sempre dá para fugir do mundo,
Nem sempre dá para se esconder nele.

As janelas são de vidro e estão abertas.

03.01.22

Lu Genez, Curitiba, PR, é poeta escritora, e Livre Pensadora.

Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!