Lu Genez – [Qual a medida exata de uma cura?]

Lu Genez


Qual a medida exata de uma cura?
Quando se pode dizer estar com a pele refeita
Livre dos sintomas, enganos, enredos,
Se a cicatriz existe, e por debaixo dela,
tudo ainda é latejamento.

Quando o sangue cogula?
O tempo pode variar de 5 a 11 minutos, em valores normais
E se diz sobre os milagres da regeneração do corpo
Ou antes disso, quando se estanca o sangramento
Ou o deixa vazando em gotas,
Sem hemorragias fatais
Para que ao final se somem os litros expelidos da resiliência
Como a prova cabal de uma sobrevivência.

Talvez, o momento a se afirmar o atestado
Seja o daquele, em que a lágrima resistente ao olho
Só o umedece pequeno,
e não mais se presta ao rolamento.

Toda a aparência esconde o que está dentro,
O embrulho, o sangue e a náusea.

Se carregam os venenos e os antídotos
As verdades ditas ao pior inimigo
Quando todos os olhos,
(os meus e os do meu inimigo)
Desfilam os mesmos disfarces diante do espelho,
Reconhecidas as dores, e as mentiras convenientes
Nas cores de uma mesma íris.

Um sopro de vento em dias azuis
Um passo adiante
Um pouco além de hoje.
Só o que é dito no infinito do silêncio,
Me confidencia, sobre o amanhã.

28.Jul.20

Lu Genez, Curitiba, PR, é poeta escritora, e Livre Pensadora.

Compartilhe!
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!