Lu Genez – [Fuga]

Lu Genez


Fuga? É só um nome dado para se enganar os oficiais da cavalaria
Os cascos dos animais são estruturas duras que protegem os dedos
A pele também tem a sua serventia,
Só não resistem muito a dureza de um casco.
Para algumas lutas, se cabe a desistência.

Continuo seguindo com meus hematomas, sintomas e outras sentimentalidades
Onde dentro não é lugar de esperas
Tudo é irremediavelmente acelerado.
As células do epitélio intestinal se renovam em até 5 dias,
Todos as outras, morreram nesse tempo.

Há muito a se dizer ainda,
Não se afaste tanto de nós.

Silêncios e gritos orquestrados
Correr não significa chegar ao lugar desejado
A areia escorre para a outra parte da ampulheta
Para depois se voltar as mesmas regras do confinamento.
Escolhas também são perdas
A fuga não existe.

Na mala, o contraditório, o reverso e o verso
Não há poesia na superficialidade
Tudo é osso, sangue e vermelho

O ponto final é fim de frase
Reticências, falam de amanhã.

Julho 20

Lu Genez, Curitiba, PR, é poeta escritora, e Livre Pensadora.

Compartilhe!
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!