Lu Genez – [É quase inverno no céu daqui]

Compartilhe!

Lu Genez


É quase inverno no céu daqui
Todas as cheganças, me ardem saudades
É só o corrediço dos dias
em meu rosto, tão cheio de desassossego.

O relógio reconhece as partidas
No vácuo, há esperas demais.

Eu, que nasci há tantos anos depois desse dia
Cubro o nu do corpo, com outras verdades obscenas
Nada em mim será igual a hoje
Sei que o amor da minha pele, te veste.

As noites serão mais longas,
e um novo escuro dançará solitário
na parede do meu quarto.
tudo é tão frio
quando teu corpo não me monta.

Nada é suave nesse silêncio de agoras
Eu te necessito dentro
Meu desejo não cessa
Escorre no meu vazio.
Teus olhos, andam longe dos meus.

Me faça lembrar da primavera
Das carnes defloradas
Do cheiro do sexo
Do gosto do teu gozo.

05.Jun.20

Lu Genez, Curitiba, PR, é poeta escritora, e Livre Pensadora.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários