Lu Genez – A Conveniência das Máscaras

Compartilhe!

Lu Genez


Anões desdentados correm riscos de atentados a honra cívica,
Mais do que as trapezistas tisicas, que se equilibram em madeiras de procedência duvidosa.
Pratos de comida sem pão, são inservíveis.

O show de calouros e seus arremedos de realidade,
tal qual a guerra entre os políticos de facções rivais.
Todos se abraçam e comem caviar, depois que as cortinas se fecham.
O circo de horrores e os holofotes da ribalta, ao final, se parecem.

Anões banguelas se servem de águas mornas, qualquer paga, para disfarçar a boca sem dentes, e sem esmalte de proteção.
Já não se contentam com papas insossas de mingau de aveia,
Eles querem as carnes e os ossos de roeduras, ou o que mais possam lhe dar o prestígio de sorrisos brancos e perfeitos.

Os espelhos, traem a si mesmos.

27/01/22

Lu Genez, Curitiba, PR, é poeta escritora, e Livre Pensadora.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

1 Comentário
Mais Recente
Mais Antigo Mais Votado
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Wander
Wander
12/02/2024 18:25

Espetacular…

Dejane
Dejane
13/02/2024 9:08

Uau! Fantástico!

Alexandre
Alexandre
13/02/2024 8:04

👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼