Lírio de Vidro – Lírio de Vidro

Compartilhe!

Barata Cichetto


Resgatar preciosidades que pareciam perdidas é algo sempre muito interessante. A falta de registros sonoros das bandas dos anos 70 é uma realidade. As condições técnicas eram muito piores, entre outras coisas, ocasionaram a quase total perda da memória roqueira daquela época. Bandas importantes e fantásticas como “Rock da Mortalha” e outras tantas que agitaram o cenário roqueiro da época e que em muitos casos arrombaram a porta para quem veio depois não têm nada registrado…. É uma lástima.

Portanto ao ter nas mãos essa preciosidade que foi lançada pela Medusa Records há uns foi anos e que só chegou até mim agora, graças ao Ray (Ex Medusa e atualmente com a Blue Sonic, que entre outras façanhas lançou também a fantástica “Sunflower”, embrião da conhecida “King Bird”.) tenho apenas que agradecer por ainda existir gente preocupada em resgatar verdadeiras aulas de história do Rock Brasileiro. Isso em si já seria o motivo para eu dar meus parabéns e agradecer ao lançamento.

Mas juntando o fato de que o “Lírio de Vidro” era uma das minhas bandas prediletas para shows naqueles anos de muito chumbo, está completa a alquimia. Ultimamente ficara sabendo da participação do Joaquim Kehl (ao menos essa assim que ele era apresentado naquela época) tocando guitarra com uma dessas duplas de “Sertanojo”… Depois fiquei mais aliviado ao saber que ele tinha lançado um trabalho de Rock com a banda “Os Kurandeiros”, mas essa é outra história.

Segundo o Ray, os registros foram retirados de uma antiga fita de gravador de rolo “Phillips” mofada e foi um custo recuperar o material. A maior parte das faixas inclusive, são gravações originais em mono e foram realizadas entre 1978 e 1979 na garagem da avó de Kim, Dona Margarida (Mesmo lugar onde Patrulha do Espaço, Made in Brazil e outros ensaiavam) e registrados de forma amadora em um velho gravador de rolo Phillips.

Blues, Fusion, Rock’n’Roll puro e várias porradas sonoras fazem parte deste disco que tem cerca de 80 minutos em 19 faixas. Músicas muito pesadas como “Mar Metálico” – que inclusive foi gravada pela Patrulha do Espaço, “Cigana” e “Rock’n’Roll Lili”, o CD conta ainda com excelentes canções Rock’n’Roll como “Osso Duro” e “Até o Fim”, instrumentais com pitadas de Blues, como “Blues”, que conta na guitarra com um garoto de 17 anos na época, um tal de André Christovam; alguma coisa de Fusion, como em “Povo” e “Tira a Mão”, sem contar as baladas roqueiras “Lírio de Vidro”, “Vem Comigo”.

A coisa que mais importa neste lançamento é apenas o fato dele simplesmente existir. Um disco que não é apenas para ser escutado, mas estudado, reverenciado, guardado, mostrado para o seu filho que insiste em escutar essas bobagens do tipo “Korn”. Gostaria apenas de pedir que aqueles que podem recuperar e relançar material dessas bandas dos 70 que o façam com urgência, em nome do Senhor… Rock’n’Roll.

Como bem descreveu o autor do texto do encarte do CD, Ray Raine: “Este é o único registro sonoro existente da banda, e um sonho de Kim que se realiza. Tudo em nome do velho Rock’N’Roll”!

Lírio de Vidro – Lírio de Vidro

1. Rock’n’roll Lili
2. Vampiro
3. Tudo Isso e Muito Mais
4. Mar Metálico
5. Lírio de Vidro
6. Povo
7. Rainha do Som
8. Longe Demais
9. Vem Comigo
10. Osso Duro
11. Rock Sem Cabeça
12. Cigana
13. Tira a Mão
14. Blues
15. Abertura
16. O Pirata
17. Até o Fim
18. Mecanus
19. Caindo Fora

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor. Criador e editor do Agulha.xyz, e Livre Pensador.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários