Gazeta do Povo | “Fiquei Inelegível Por Encontro Com Embaixadores, Não Com Traficantes”, Diz Bolsonaro

Gazeta do Povo
06/07/2024 20:18
Um dos principais nomes do CPAC (Conservative Political Action Conference) Brasil 2024, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), fechou o primeiro dia do congresso conservador criticando as ações que o tornaram inelegível. “Me tornaram inelegível porque eu me encontrei com embaixadores. Eu não me encontrei com traficantes no Morro do Alemão. A segunda inelegibilidade foi porque no 7 de Setembro eu coloquei do meu lado um empresário [Luciano Hang] que é orgulho do Brasil e de Santa Catarina, que usava um paletó verde-e-amarelo. Eu não botei do meu lado a dama do tráfico”, disse, fazendo referência a escândalos do governo Lula .

A fala vem em uma semana em que Bolsonaro foi alvo de uma nova ofensiva da Polícia Federal, que o indiciou no caso das joias sauditas. O ex-presidente já foi condenado à inelegibilidade pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por conta da reunião que fez com embaixadores, no Palácio da Alvorada, em que apresentou indícios de falhas no sistema eletrônico de votação mantido pelo TSE. Ele sofreu outra condenação relacionada ao suposto uso eleitoral das comemorações de 7 de setembro de 2022.

Bolsonaro ainda criticou projetos políticos e ações do Judiciário que tentam controlar as mídias sociais. Bolsonaro defendeu o acesso irrestrito às informações. “Tentaram por várias vezes nos censurar”, disse. “Quem fez minha campanha em 2018 foi meu filho Carlos Bolsonaro com um telefone na mão”, disse, apontando para seu telefone. “Aqui está nossa liberdade. O blogueiro, aquele que mexe com rede social, se não mostrar a verdade ele acaba. Quem age com isenção, responsabilidade, cresce”, destacou.

Compartilhe!
Assinar
Notificar:
guest

2 Comentários
Mais Recente
Mais Antigo Mais Votado
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
genecysouza@yahoo.com.br
06/07/2024 21:43

Em se tratando de Jair Bolsonaro, qualquer dito, ato ou fato, já servem de base para enquandrá-lo em qualquer processo. A reunião com os embaixadores foi mais um coelho que seus inimigos tiraram da cartola para espezinhá-lo. A ordem é só uma: tirá-lo do jogo, pouco importam os meios.

Barata Cichetto
Administrador
Responder a  [email protected]
06/07/2024 22:45

Com certeza. De santo o nosso querido Messias nada tem, mas a ele, até um peido é considerado Golpe de Estado, enquanto ministros visitam traficantes, togados se julgam escolhidos, e assim vai a Democracia para o esgoto, como se fosse um mero arroto. O grande erro do senhor Jair foi acreditar que sua popularidade e desejo popular fossem sua salvaguarda, e garantia de eleição. Errou feio, porque Democracia, como dizia um falecido comunista português, é “apenas uma santa no altar de quem já não se espera milagres”. JB representa muito mais que um candidato, mas algo com o Teatro das Tesouras (MDB/PSDB e PT) não contavam. E por isso fizeram o que fizeram, de esquecer que 300 quilos (chutando) de processos, testemunhos e delações de nada serviam. JB foi apenas um indecente (isso mesmo, indecente) útil, que serviu para apressar o processo que já tinham em mente desde a muito. Agora, quem viveu viu, quem não viu nunca mais verá. Quem acreditou em eleição como instrumento democrático, do mesmo jeito que em quem acreditou na Ciença em 2020/21, se viu simplesmente perdido, com as calças na mão!
Pode ter certeza, JMB jamais conseguirá retornar, nem como candidato a síndico de prédio, apenas porque representou uma ameaça, embora meio tresloucada, ao estabilishment. Eles não suportam isso.

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!