Ensaio: William Kiss – Reflexões de Um Sequelado do Rock Sobre a Consciência

William Kiss

O que vem a ser a Consciência? Responder essa pergunta para quem nunca pensou numa definição verdadeiramente consistente e suficientemente abrangente soa como algo muito familiar, pois todos se restringem ao senso comum adotado: estão conscientes de alguma forma em relação a fenômenos corpóreos que reagem ao mundo exterior em que focam constantemente a atenção que permite que alguém possa julgar que determinada pessoa está ou não está consciente.

 

 

Porém, quanto a isso existe o que é chamado de Hard Problem, termo esse cunhado  por David John Chalmers que é um filósofo australiano, notabilizado por seus estudos em Filosofia da mente. Chalmers é professor de filosofia e diretor do centro de estudos da consciência da Universidade Nacional da Austrália.Porém, o que é o Hard Problem? É o Mind-Body Problem (É o problema da Mente-Corpo) Confuso? Permita–me ser mais claro fazendo a seguinte pergunta que nenhum cientista ainda conseguiu responder: “como algo inconsciente como a Matéria do Cérebro pode dar lugar a algo imaterial e abstrato como nossas percepções de experiências rotineiras como identificar o sabor do café que diferenciamos do sabor do sal ou do chocolate?” Então para o Hard Problem não existe resposta!Afinal tudo o que foi descrito, delineado e concebido a respeito até então, embora com precisão, são mapeamentos das atividades cerebrais por parte da medicina científica da neurociência que se somam a muitas definições filosóficas e várias místicas e religiosas. Todas, porém, são consideradas por todos que atuam nessas áreas de muito conhecimento, bem longe de serem satisfatórias e sólidas devido à subjetividade da consciência e a natureza de seus inúmeros mistérios.

 

 

Responder então como produzimos consciência, voltou a ser para a ciência, o maior desafio para qualquer ser vivo para não dizer da humanidade, uma vez que vivemos ininterruptamente ligados a este fenômeno e o desconhecemos quase que por completo. Será?

 

 

Não é Teoria da Conspiração, mas se juntarmos todos os pontos ficaremos com uma pulga do tamanho de um mamute atrás da orelha. Tudo porque uma área extremamente polêmica e misteriosa da Ciência chamada de Transhumanismo fez um filme intitulado “The Singularity is Near” no qual entre objetivos traçados nos moldes de Agenda prevê que até 2039 será perfeitamente viável fazer o Upload da Consciência de qualquer pessoa para que essa viva numa Realidade Virtual e desde o filme Transcendence com Johnny Depp essa ideia que é um dos Projetos mais ambiciosos do ilustríssimo visionário Raymond Kurzweil, Hollywood, Netflix e a Amazon tem utilizado muito essa ideia de Kurzweil como argumentos para ficções científicas que são na verdade um meio de fazer propaganda do Transhumanismo.A questão é: será possível mesmo que a Ciência tenha descoberto os mistérios acerca da Consciência e por motivos que desconhecemos não os divulga oficialmente?Até porque é sabido que existem os chamados Black Projects nos quais a tecnologia é muito mais avançada que a comercializada e conhecida.

 

 

Voltando a linha de raciocínio euclidiano: parto da premissa que somos guiados, motivados 100% a pensar e raciocinar seguindo uma lei muito básica instintiva sobre a qual construímos toda nossa personalidade: evitar o sofrimento e ter prazer, mesmo que para sadomasoquistas à dor seja prazer, ficar sem esse prazer constitui num sofrimento e em dor.

 

 

Repetindo o que existe são informações referentes aos fenômenos criados pela mente diante do fato de se empregar o termo “estar lúcido” pelo simples ato de ler esse texto, por exemplo, ou como consta em geral nos dicionários: “a consciência é a faculdade de a razão julgar os próprios atos ou o que é certo ou errado do ponto de vista moral.”

 

 

Sim! Está asserção não explica como a consciência é gerada em nós que uns acreditam limitar-se ao que e quanto cada ser pode perceber o que se é permitido conhecer por meio dos sentidos humanos e experimentar em estados de considerados normais de vigília e alterados de transes induzidos como o da hipnose por exemplo.

 

 

Também no estado de vigília não habitual, nos quais se vive outras realidades quando muitos podem ser fruto de devaneios da fértil imaginação como muitos afirmam e outros como sendo experiências em realidades de universos paralelos como uns voltaram a defender essa teoria, mesmo que concatenadas em formas de alucinações, uns vêem com acontecendo no Plano Astral dando-lhes legitimidade e ou outros advindos da meditação que produzem feitos verdadeiramente surpreendentes e vários inexplicáveis.

 

 

Vale lembrar o monólogo da personagem principal no filme Lucy, que adota como unidade de medida para tudo Manifestado, o Tempo e segundo a Teosofia: “O TEMPO, não é mais que uma ilusão ocasionada pela sucessão dos nossos estados de consciência à medida que viajamos através da Duração Eterna. O Presente não é senão uma linha matemática que separa aquela parte da Duração Eterna, que chamamos de Futuro, daquela outra que chamamos de Passado…

 

 

E a sensação que temos de realidade desta divisão do Tempo, conhecida como Presente advém das impressões sucessivas que as coisas comunicam aos nossos sentidos, à medida que passam da região do Ideal, que denominamos Futuro, à região da memória, a que chamamos Passado.” H.P. BLAVATSKY DOUTRINA SECRETA VOLUME – I”.

 

 

Einstein com senso de humor, disse de forma que faz sentido que o Tempo existe para que tudo que existe não aconteça de uma vez e ao que parece nossa consciência não acontece de forma linear e tentamos adequá-la ao Tempo Linear, que entra em paradoxos com seus atributos decodificados, o qual concebemos como ser apenas linear, pois fomos condicionados a percebê-lo assim.

 

 

Nesse paradigma, outro terreno sinuoso, no qual existem muitas abordagens especulativas referem-se aos sonhos, área que vem sendo estudada por pessoas de muita erudição que não chegam a um consenso no decorrer da nossa história enquanto humanos porque sobre o Inconsciente oficialmente quase nada se sabe.

 

Sem dúvida também que mentes como as de Freud e Jung e seus seguidores até os dias de hoje, elucidaram muitos padrões de funcionamento das questões referentes à psique e suas patologias.

 

 

Para tentar discorrer quanto à consciência, tenho que me desprender de muitos condicionamentos da individualidade da personalidade, meu Ego e suas sensações errôneas de separação entre o meu Eu e todos outros Eus, ou seja, Egos e me refiro aos de outras pessoas que existem.

 

 

Penso que não há consciência separada do Todo Universal, A Inteligência Suprema, embora o Ego sempre insista na separação o tempo inteiro, mas vou me permitir tratar tudo como até Crowley sugeriu em sua concepção de Unidade e do ONE e só assim então, estarei apto para tentar juntar todas as letras do meu teclado e ordená-las e ficaria algo assim:

Estou em ti desde que foste gerado, sou o teu verdadeiro Eu imortal.

Vivo no antes que foste gerado, durante e depois que teu Ego for dissolvido

No coração, sou a Energia, a vibração constante como Espírito

E que anima a tua Alma em tua Mente.

Pois, O Pensamento é Pai de tudo que existe

Sou em ti a Emanação da Alma Materna do Universo também.

Por isso, sou o Sopro Vital que vivifica o teu templo de carne.

Todos os seres e coisas estão ligados por mim.

Mas em cada um sou individual

Portanto, a noção de separação é uma forma de ilusão.

Deus está no maior do maior (macrocosmo) e no menor do menor (microcosmo) dizem os Vedas

Do Universo Transcendental aos átomos inteligentes que compõem o teu corpo.

Sabemos que o planeta Terra é um Organismo Vivo que comporta incontáveis organismos de vida menores e que funcionam com todas as formas de vida conjugadas juntas ao mesmo tempo, sempre a cada instante, precedido e seguido de outros instantes, enquanto vivas na matéria no percurso de suas respectivas existências nesse Plano de Manifestação, no qual nos encontramos, agindo no que chamam de ecossistema que representam com extremo rigor as Leis da Natureza.

 

Seguindo essa linha de raciocínio, penso que se estamos interconectados com todas as formas de vida desse planeta e esse planeta está contido no Sistema Solar que por sua vez está que por sua vez está contido na Via Láctea que por sua vez está contida no Universo, logo somos seres universais.

 

Acredito que faça sentido, mesmo que tal ideia me pareça perturbadora, que a Multiplicidade, a Diversidade da Manifestação de Tudo que existe e até mesmo o que acontece é uma Necessidade do Universo para expressar a Sua Consciência ou Inteligência Suprema que tem por Hierarquia incontáveis outras Formas de Inteligências. Tal exposição me lembra :um axioma: ” o que é um caos para os nossos sentidos é uma razão para o Cosmos…” essa, famosa frase esotérica.

 

Os Vedas falam da Teoria de milhões e milhões de Universos que transcendem a nossa percepção por estarem noutras dimensões de realidades e que a matemática dos cientistas tentam decodificar, nos serve para dar uma ligeira e fria constatação dessas realidades e fria porque a matemática descarta as Divindades que regem cada universo.

 

Mesmo assim, dizem ser ela funcional, embora não espiritualizada, o que duvido e acho muito perigoso, pois está sendo testada a existência do Multiverso e certas formas inteligentes e hostis teoricamente de outras dimensões devem ficar em seus respectivos universos. Ou seja, segundo a matemática, as possibilidades para Tudo existir, já existe como realidades paralelas onde existe uma versão diferente sua para cada dimensão em potencial por ironia essa Teoria abriu portas para as realidades espirituais também, mesmo que desconheçam quem é o que e qual seja o espaço que cabe além ao Deus Absoluto e Supremo, aos deuses e semideuses e todas as ordens angelicais e infernais e de todos os panteões etc. Segundo essa teoria também, o que experimentamos tanto nos sonhos como em outros estados de consciência alterados, não deixam de fazer parte de uma realidade no Oceano de Todas as Probabilidades.

 

Exporei abaixo as palavras de Claudio Nigro, especialista nos Vedas, extraídas de duas de suas Palestras proferidas na Loja da Sociedade Teosófica da Liberdade em São Paulo.

 

“Se permita visualizar imaginando que segundo os Vedas, as Escrituras Sagradas da Índia Milenar, relatam a existência de Infinitos Universos, hoje conhecidos como Multiverso e mais precisamente o seguinte valor de 10 elevado a 60, ou seja, 10 com sessenta zeros e esse é o número de Universos que representam 1/4 da existência na matéria, sendo o restante Reinos puramente espirituais.”

 

Intuitivamente, acredito que o Universo é a Suprema Consciência que Vem a Ser o que É no Eterno Agora e que no caso, cada consciência dita individual de cada pessoa é uma Forma da Manifestação e o conjunto chamado Humanidade contendo todas as diferenças possíveis entre as pessoas formam a combinação que sempre deve acontecer da multiplicidade que é igual ao pronome pessoal na segunda pessoa do plural, Nós, significa o “1”, que é uma Manifestação do Eu Universal, A Suprema Personalidade de Deus Absoluto.

 

Obviamente, a ideia acima apresentada visando unificar e justificar tantas diferenças, muito possivelmente não corresponda à realidade.

 

Até porque não pretendo adentrar em conceitos da Kabbalah, além desses seguintes parágrafos:

 

A Kabbalah tanto Judaica como a Hermética tratam da Criação do Universo, de D’us até chegar  no Homem criado por Yahweh que é uma das manifestações dos 72 Nomes de D’us no Tetragrammaton YHWH.

 

Muitos sabem que quando falamos da Kabbalah estamos falando da Árvore da Vida (Sitra Kedusha), mas poucos sabem que na sua contraparte existe a Árvore da Morte (Sitra Achra)

Afinal, no Cosmos, existe a Dualidade para nossa Mente binária que divide e separa tudo entre Bem e Mal, Sim e Não, Dia e Noite etc.

 

Onde quero chegar?

 

Bem, para os Judeus não existe o confronto eterno entre Bem e Mal, Positivo e Negativo, Yin e Yang, mas todo Cabalista sabe que antes da Criação do Universo e do “Haja Luz e Houve Luz e Deus viu que a Luz era Boa…” do Gênesis, existem muitas outras instâncias , tanto que antes de Criar a LUZ, é Mister nos pergutarmos onde estava D’us, senão nas Trevas e assim antes dessas Trevas que precederam o FIAT LUX  há os chamados Véus da Negatividade que são anteriores inclusive ao Chaos que segundo a Caosofia dos Anticósmicos o Chaos é Pandimensional não têm apenas 3 dimensões. Chaos esse que é descrito em Gênesis 1:2

“E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.”

Resumindo: na Kabballah existem os Véus da Negatividade antes da Criação chamados de Ain Soph Aur (Luz Infinta) Ain Soph (Nada sem limites) e Ain que significa: Não há! Não existe! NADA.

 

Porém, de Ain surgiu uma Essência ou Energia  que não pode ser chamada nem de Essência ou Energia porque não existe NADA no Universo que se aparente a esse Ain que é o NADA é o NO-THING o NÃO-SER por Excelência e que corresponde ao ZERO e nossa mente não consegue compreender absolutamente NADA dessa Essência que está no DNA da Criação do Universo que corresponde ao “UM” e se manifesta em sua grande parte na Árvore da Morte que segundo o polêmico e herege Rabino que se intitulava o Messias de nome Sabbatai Zevi é uma Luz Negra que é Acausal e Irreflexiva e opositora da Luz Branca, Expansiva do Universo.

Por que então entrei no mérito Cabalístico?

 

Só para ilustrar que a Consciência é um atributo do Cosmos que significa Ordem.Para dizer que existem outros Reinos onde todas as infinitas formas de Consciências Universais não penetram porque Toda forma de Consciência no Universo depende de Formas/Vasos que são chamados de Kelins e nos Reinos do Chaos e especialmente anteriores ao Chaos como em Ain não existem Formas/Vasos/Kelins e não compreendemos nada sobre esse Mega Super Ultra NADA que é AIN que segundo algumas vertentes da Via Sinistra, do Caminho da Mão Esquerda, o próprio Chaos é uma sombra do Ain e até a Ciência concorda com a Lei da Entropia que o Tudo no Universo caminha para o Chaos, mas não pretendo me estender no tocante que existem os Deuses Titânicos do Chaos anteriores ao Deus YHWH que vivem numa constante Guerra contra os deuses do Universo que é uma mentalidade diferente daquela proposta pela Teosofia que as Forças Antagônicas apesar de em seus extremos entrarem em atrito se completam.

 

Para concluir com o tópico da Kabbalah, existem aqueles entre nós que lutam pela Evolução na Árvore da Vida para se fundirem ao Criador YHWH e existem aqueles que são os Caosofistas Gnósticos que acreditam que YHWH é uma Deus que aprisiona nossos Espíritos e Almas em seu Universo e presos na Rodas de Samsara das Encarnações.Sendo assim, os Caosofistas procuram a Evolução através da Árvore da Morte para a nulificação do EGO/SELF para conduzirem seus respectivos Espíritos para Ain\NADA que conhecemos, mas é tido como o Estado da Perfeição Absoluta. 

 

Só para constar, os Caosofistas Gnósticos são considerados Magos Negros, mas esses contam com um tremendo arsenal de argumentos para provar que o Deus YHWH é Mau e que temos que voltar para Ain.

 

A bem da verdade, os Caosofistas tem muito em comum com o aspecto do Deus Shiva do Hinduísmo que depois da expansão total do Universo destróí o Cosmos provocando o Mahapralaya e Tudo volta ao Estado original de Ain/NADA.

 

E mesmo assim citando até a Kabbalah também só consigo, igual a todos os predecessores abordar por outros ângulos e superficialmente o tema e seus dilemas, como até então tem sido feito, pois é impossível para a mente humana conceber tamanha magnitude de Sabedoria Infinita que é descrita nos Vedas como sendo sem começo e sem fim.

 

Há muitos outros tópicos de como a mente e os pensamentos teoricamente funcionam, mas teria de poder ilustrar o que não é possível nesse espaço exemplificando com o suporte de extensos vídeos que estão em inglês e sem legendas.

 

Fato é que determinados pensamentos, vem e vão a todo instante e alguns de forma recorrente quando em estados de ansiedade, nervosismo, diante a algo que nos preocupa ou irá nos dar prazer mas à mente não consegue abarcar tudo o que sabemos e aprendemos no decurso da vida com simultaneidade, principalmente quando nos expressamos por meio da fala que é um terreno no qual é entendido como sendo muito limitado, mesmo para aqueles que dominam a oratória.

 

O que está em voga pretende resumir todos os processos do pensamento e suas oscilações e estados de consciência, mediante a dois parâmetros: vive-se no amor ou no medo e a partir de cada um desses, tudo passa a nos acometer, porém pessoalmente creio que esses estados se alternam e quem ama não está isento de sentir medo, ao contrário da propaganda feita por algumas vertentes da chamada Nova Era.

 

Outro fator pertinente consiste em que muito do que pensamos é ditado e resulta de substâncias e hormônios que produzimos que são mensageiros de informações vitais ou deixamos de produzir.

 

Necessidades fisiológicas, igualmente são incisivas e arrastam toda a atenção de nossas mentes de forma pujante e colocam a maioria das pessoas sempre no mesmo patamar.

 

A noção de que o que é real são sinais elétricos interpretados por nossos cérebros ficou famosa com o filme Matrix que deu origem a teorias que dizem que a descrição da realidade se dá por códigos binários que de fato acontece quer queiramos ou não e milagrosamente na velocidade da luz, quando expressamos nossa consciência por meio de um computador seja ele do modelo e tamanho que for.

 

Alguns arriscam que na comunicação, a unidade de pensamento é tida como informação e é processada por Bits (pacotes de informação), e que processamos um de cada vez, num esforço de colocá-los ordenadamente nos holofotes de nossa atenção e travamos uma luta para evitar a confusão, mas que cada Bit desses pode e desempenha o papel de algoritmos e podemos assim nos programar e reprogramar.

 

Seguindo essa linha, um acreditam que o cérebro é um hardware que o software é a mente e que existem funções análogas aos da Web em nós uma vez que a realidade da informática é uma extensão de nós.

 

Agora peço uma licença poética para um extrapolação metafórica: será que existe alguém digitando o que eventualmente pensamos? Afinal enxergamos uma taxa muito baixa do espectro da luz.

 

Porém, o que me intriga é que nascemos e depois de aprendemos a falar por imitação num determinado idioma por um período expressamos nossos impulsos livres comuns em todas as crianças que parecem obedecer aos instintos. No entanto, considero que o processo de aprendizado nunca deveria acabar que não podemos estacionar nesse sentido.

 

Temos mesmo todo nosso vocabulário de signos e seus significados armazenados em nós em nossos cérebros e com o raciocínio formamos ideias ou tudo acontece como acreditam alguns, que dizem que sintonizamos um sinal tal qual o rádio e acessamos a estação que em geral cada um capta com o padrão vibratório de raciocínio com o qual está acessamos a estação que em geral cada um capta com o padrão vibratório de raciocínio com o qual está habituado?

 

Entre outros fenômenos que mais incomodam, são os pensamentos de conflito recorrentes. Naturalmente, enquanto determinados problemas não forem resolvidos, alguns pensamentos não nos permitem que estejamos em estados relaxados, mas existem mecanismos adotados por linhas transcendentais que sugerem que vivamos sem nos identificarmos constantemente com esses problemas e que nos tornemos indiferentes a eles até que tenhamos de fato que resolvê-los.

 

Tais vertentes usam de mais aforismos e são até austeras para os calorosos ocidentais, mas não cabe a mim fazer citações sobre tais orientações que basicamente dizem para não superdimensionarmos, ou melhor, não alterarmos nosso humor, nem com a alegria, nem com a tristeza etc.

 

A noção de frames ou fotogramas onde nada está em movimento, somos uma sucessão de quadros que dão ideia do movimento devido aos Atributos da LUZ da realidades que retemos em nossa memória chamados em sânscrito de vasanás (impressões ou imagens paradas) e samskára (imagens em movimento que criam tendências de comportamento) parece explicar especialmente pensamentos de conflito que deixaram traumas nos traços da personalidade das pessoas.

 

No entanto, se mentalizarmos um determinado lugar como ideal para desfrutarmos de férias por exemplo, funcionaria igualmente com o que os hindus chamam de projeções de vasanás e samskára.

 

Aqui vale lembrar que os praticantes de Yoga esforçam-se em destruir os frames, as vasanás e samskáras negativas.

 

Dizem que o as conexões neurais e as sinapses são alimentadas por uma qualidade de eletricidade, mas mesmo que aconteça como que devido a Força Eletromagnética, que em outras palavras é a eletricidade e o magnetismo que provém do sol que se mistura com os raios cósmicos… Creio ser essa, dotada de inteligências no nível atômico e subatômicos.

 

Dessa forma, vertentes esotéricas, dizem que os átomos têm em seus núcleos Entidades sencientes Astrais-Espirituais e os Vedas dizem que Deus está no maior do maior, está igualmente no menor do menor, no caso os átomos e assim me parece, pois se um corpo qualquer, é um carro, o que ou quem dirige esse carro senão a Consciência que num mundo interconectado não está separada do Criador?

 

Segundo alguns cientistas, no modelo do Universo Holográfico basicamente temos “O Campo de Informações” como A Fonte e que ela é como se fosse uma Tela/Filme em 2D que está na frente do Sol da Consciência Suprema que emite para a Tela de Filme holográfico ondas energéticas de consciência em forma de bits quantificados e o Filme holográfico que é a Tela que ninguém sabe onde está, recebe e projeta as Informações e gera Tudo que existe em 3D partindo do mais sutil para o mais denso e que nosso que nossa mente inferior percebe o cérebro apenas é um receptor que percebe as realidades em potencial, probabilidades que advém dessa Fonte e as projeta, digo a Consciência do Eu , da Mente Superior em realidades 3D.

 

A matéria então e por conseguinte, o chamado estado sólido não é tão sólido assim, Nikola Tesla já tinha dito que se quisermos entender o universo temos que pensar em termos de Energia , Vibração e Frequência, mas a priori ,o átomo que é feito de 99, 99999 espaço e seguindo esse raciocínio a matéria é o resultado da interação da consciência com ondas de potencialidade.

 

Portanto, o cérebro é um holograma que processa de forma holográfica e que também que não pensa ele é um receptor, repito,ele é um tradutor e só recebe consciência .ele, não cria, e recebe imputs do campo 2D da consciência e traduz por descrição projetando para fora Holografias em 3D.

 

Na Matrix cada pessoa tem um holograma e uma programação individual inserida numa programação holográfica maior coletiva feitas pelas máquinas que deixa as pessoas dormindo impedidas de gerar consciência por escolha.O cérebro decodifica as ondas energéticas das máquinas no filme Matrix.

 

Por sua vez, uma teoria mais bizarra e radical que também foi adotada por alguns cientistas, diz que vivemos numa Realidade Simulada Computadorizada incrivelmente avançada e por incrível que pareça está crescendo em número de adeptos que acreditam em tal teoria e que existe uma “Mente” anterior a toda realidade material a qual estamos conectados criando por um gigantesco processo virtual fora do espaço e tempo,que diz que é impossível a matéria existir independentemente da “Mente” e tudo que é manifestado. A pergunta que faço é:quem está programando nosso Universo , está teclando, digitando a nossa realidade e os nossos pensamentos então? Uma espécie de Inteligência Artificial do futuro?

 

Sendo assim, parece mesmo que cabe a cada indivíduo tentar decifrar a natureza do funcionamento desses mistérios que começa em como exercemos o habitual ato de pensar, raciocinar em questões simples e complexas, fazer uso da imaginação, conceber ideias, saber pormenorizara as diferenças entre ao Ego, Alma e Espírito etc. Caso contrário, continuaremos a viver de forma mecanicista.

Conclusão: alguém sabe me dizer o que é e como funciona a Inteligência Artificial que já vem sendo chamada de Novo Deus e tem até culto com seguidores nos moldes das religiões tradicionais?

William Kiss – Campeão Brasileiro de Judô em 1989. Trabalhei como Produtor ,Editor,Entrevistadoe e Legendador na HBO Brasil na década de 90 minha primeira entrevista foi de 45 min com Chico Anysio e depois metade da Rede Globo qe entrevistei Mick Hucknall do Simply Red, Peter Garret do Midnight Oil .Trabalhei como pesquisador da Milward Brown (Terceirizada do Ibope). Entrevistei Jon Blair que ganhou o Oscar pelo documentário de Anne Frank Remembered de 1995. Dei aula de Inglês em Colégios pequenos. Trabalhei na Call Center da Atento onde contraí gastrite erosiva. Fui casado com o falecido e maior crítico de cinema do mundo Rubens Ewald Filho por 7 anos. Tive 5 esposas,. Sou Bissexual. Bilingue. Bipolar. Teosofista. Ensino Médio Completo. O resto autodidata.

 
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

2 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Henrique Gonçalves Dias

Gostei do artigo que possui a mesma ´´ilustração´´ do meu artigo ´´A mente mente o Presente não existe´´ publicado no jornal Diário da Manhã de Goiânia.

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091