Barata Cichetto – (Não) Escolha a Sua Catástrofe

No início dos anos 1980, “Escolha a Catástrofe”, um livro escrito pelo cientista e escritor russo-americano Isaac Asimov analisava as probabilidades de extinção da humanidade, indo desde o fim do universo como um todo até chegar ao âmbito “doméstico”, com a “simples” aniquilação do ser humano. Por intermédio de cálculos e estudos, o cientista escritor descarta uma a uma, explicando o porquê de sua conclusão. Até chegar à premissa que de apenas uma coisa poderia por fim à nossa existência, que seria a superpopulação. Asimov usa o crescimento em progressão geométrica da população mundial e lança um alerta importante a todas as autoridades do mundo, para que tomem atitudes concretas, a despeito de quaisquer questões religiosas e morais, criassem programas sérios de controle de natalidade, ou não haveria espaço e comida para todos no planeta. Não é preciso dizer que ninguém o escutou.

 

Na época em que o físico escreveu esse livro, no final dos anos 1970, a população da Terra era de pouco mais de quatro bilhões de pessoas. Quase dobramos de tamanho, e a projeção é de que até 2050, esse numero chegue a dez bilhões. Dez bilhões de pessoas ocupando o mesmo espaço, disputando a mesma água, respirando o mesmo ar. O planeta não se expande, as águas não se multiplicam e o oxigênio não se renova tão rápido.

 

Pense num cálculo simples, pegando por base a maior cidade da América Latina, São Paulo. Na chamada Grande São Paulo, região que engloba a capital do estado e cidades da sua região metropolitana, são mais de 20 milhões. Analisando que, cada pessoa tome dois litros de água e coma um quilo de comida por dia e depois mande à privada o que sobrou, concluímos que é preciso colocar dentro dessa região mais de 20 milhões de quilos de comida, 40 milhões de litros d’água e depois tratar 40 milhões de litros de fezes e urina. Isso levando-se em conta que essa região, há muito tempo não produz praticamente nada em termos de agricultura.

 

Disse acima que ninguém escutou Asimov nos anos oitenta, e por isso chegamos ao ponto em que chegamos, mas cometi um erro proposital, apenas para poder atualizar os números e tentar explicar o que realmente os eventos deflagrados em 2019, com a eclosão da maior farsa da história da humanidade, chamada Pandemia do Covid 19. Algumas pessoas escutaram, sim, o cientista-escritor. E estou certo que Bill Gates e as pessoas por trás do Grande Reset o fizeram. Apenas não usaram as fórmulas que ele apregoou como salvadoras, pois isso exigiria mexer com crenças religiosas, conceitos morais arraigados e outras coisas que poderiam dificultar-lhes muito a aplicação. E o principal, o controle de natalidade exigiria intervenção de governos, o que nunca eles admitiriam. Algumas pessoas escutaram Asimov, sim. Infelizmente as erradas.

 

15/02/2021

Título: Escolha a Catástrofe
Original: A Choice of Catastrophes
Autor: Isaac Asimov
Lançamento Original: 1979
Edição Brasileira
Tradução: Amarilis Eugênia Miazzi Pereira Lima
Editora: Círculo do Livro
Lançamento: 1982

Barata Cichetto nasceu em São Paulo, Capital e atualmente mora em Araraquara, É escritor, poeta, artista visual, webdesigner e webradialista. Tem 26 livros publicados, desses 14 de poesia. .. Politicamente define-se como Liberal, e poéticamente como Anarquista-monaquista. Ama Rock’n’Roll e musica barulhenta em geral. Nasceu no Ano da Graça de Madonna, Michael Jackson e Bruce Dickinson.

 
Compartilhe
  • 0
  • 0
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Assinar
Notificar
guest


Atenção: O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais ao autor, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Site Criado Por Barata Cichetto - (16) 99248-0091