Coronariana Nº 35

Compartilhe!

Barata Cichetto


Guardo a injúria debaixo do meu colchão. Deitado no chão, busco a fúria, encaro o ódio de frente e deixo o ócio corromper minha alma de poeta perdido. Estou fudido! Sou vadio, um pouco sadio e um tanto doente. Sou decente, sem muita certeza da decência, e por excelência, explico a experiência como inerente à ciência. O inconsciente não é coletivo, é individual. Apenas o mal é coletivo, o bem é seletivo. Cognitivo.

11/04/2020

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor. Criador e Editor do Agulha.xyz e Livre Pensador.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários