Barata: Sexo, Poesia e Rock’n’Roll – Parágrafo 27

Compartilhe!

Barata Cichetto


Foi também nessa época em que conheci o guitarrista Marcelo Watanabe, bluesman que acabara de lançar um disco solo, com pretensões á MPB, chamado de Nave Louca. Marcelo é um excelente guitarrista e já tinha tocado com muitos expoentes do Rock e da chamada MPB. Acabei por desenvolver o site dele e posteriormente fazer uma espécie de assessoria de Internet para ele. Todas as terças-feiras, Watanabe aparecia na minha casa, portando um saco de pão, sentava e tomava café com a gente. E depois sentávamos à frente do computador para divulgar seu trabalho, responder e-mails etc. Acabamos criando uma amizade e uma parceria, portanto. E foi também por intermédio dele que conheci o dono da o Poeira Zine. Ele era um jornalista recém formado e com um projeto ambicioso autodenominado “O melhor da musica do melhor dos tempos.” E foi devidamente bem recebido, tendo eu colocado A Barata a serviço da divulgação de sua revista, apresentando aos contatos que eu tinha. Certa oportunidade, ao que me lembro em 2003, a Patrulha do Espaço faria um show no CCSP e ele me pediu que lhe apresentasse aos músicos. Final do show, levei-o ao camarim onde tiramos fotos com os integrantes da banda. Era uma parceria bacana, honesta. A Poeira Zine saia com o numero 1 e 2 e ele disse que precisava de um site. “Mas algo bem simples”. Construir sites já era meu oficio e meu ganha pão, mas sempre procurei ajudar aos amigos. O preço cobrado era muito baixo, mas como era “um site bem simples para um amigo”, aceitei. Mas ele acabou querendo um projeto muito grande, com grande dispêndio de tempo e recursos. Mas nunca voltei atrás e levei o projeto até o fim. Foi um dos sites mais trabalhosos, mas afinal um dos mais bonitos que fiz. O trabalho foi concluído e tínhamos um acordo, ele colocaria sempre um anuncio de A Barata em sua revista e eu não lhe cobraria as atualizações do site da revista. Até que um dia, achei muito estranho uma atitude dele vetando um anuncio que eu fizera e que mostrava uma mulher semi (semi mesmo) nua. Disse que era um cliente que o pregou contra a parede e que se aquele anuncio meu saísse esse não anunciaria. Percebi a mentira, mas mesmo assim aceitei mudar. Fiz um anuncio em que a imagem era o cano de uma arma e a pergunta “Isso Pode?”.. Pouco tempo depois ele me disse que não podia mais manter o site, por questões econômicas. Ainda procurei ajudar diminuindo o custo da hospedagem, mas ele não aceitou. Disse que queria mesmo tirar o website do ar. O domínio era “.com” mas pouco tempo depois li uma nota sobre ele com um e-mail atrelado a um domínio “.com.br”, e ainda ingenuamente achei que se tratava de engano e o avisei. Mas ai descobri que ele havia criado na moita um outro site e me dado um pé na bunda sem prévio aviso.

Do Livro: Barata: Sexo, Poesia e Rock’n’Roll (Uma Autobiografia Não Autorizada)
Editor’A Barata Artesanal, 2012
(ESGOTADO)

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor. Viveu a vida entre Sexo, Poesia e Rock’n’Roll. Criador e Editor do Agulha.xyz e  Livre Pensador.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários