As Histórias de Tom Croos – Mike & Cassie – Capítulo 1

Compartilhe!

Walter Possibom


Fazia muito Sol na cidade de Letsand Beach, era época de férias escolares e as suas praias estavam lotadas de turistas, o comércio estava muito feliz com isso, as vendas aumentam bastante nessa época.

Os hotéis ficam abarrotados, não sobra vaga para ninguém que queira passar, sequer, algumas horas na cidade.

A marina estava lotada de barcos que se ofereciam para passeios pelas ilhas que havia em seu entorno, essa era uma das principais atrações da cidade.

As pessoas iam e vinham de todos os lados, a alegria dos turistas era algo contagiante, as conversas sempre em tom alto, seguidas várias vezes por risadas longas era comum nas rodas de amigos.

Os bares faziam a festa com isso, eles estavam sempre lotados e os lucros aumentavam conforme a temporada de férias ia seguindo.

As praias, com suas areias brancas, estavam sempre cheias, todos aproveitam o máximo o Sol quente e as águas refrescantes do mar.

Na orla da praia se distribuíam várias barracas com diversos alimentos e bebidas, entre elas se colocava o carrinho de sorvetes de Mike.

Mike era um jovem de vinte e três anos de idade, tinha os cabelos aloirados e olhos verde claros, seu corpo era atlético, mas apesar do belo visual o seu ilhar era triste, frequentemente ele o fixava no horizonte. Isso causava um enorme contraste na figura do jovem.

Naquele dia ensolarado Mike parecia estar mais triste que o habitual, sua cabeça estava mais baixa, em sua mente passavam pensamentos ruins, lembranças de um passado recente que lhe causou uma mudança radical em sua vida.

Uma lágrima se insinua por sua face, ele prontamente a enxuga, respira fundo e tenta superar o momento. Mas quando ele sorria isso cativava a todos, era um sorriso contagiante, que ele só conseguia fazer, ultimamente, só com as crianças.

Quando elas se aproximavam dele o sorriso se fazia em seu rosto, e elas normalmente respondiam ao sorriso dele com outro sorriso, e isso lhe fazia muito bem, melhorando muito o seu estado de ânimo.

A manhã seguia quente, Mike estava sentado de cabeça baixa, de repente ele sente a presença de alguém, imediatamente levanta a cabeça e vê um jovem à sua frente, esse jovem então lhe diz:
— Pelo jeito você devia estar pensando em sua garota.
— E pelos seus olhos ela deve ser uma linda garota.

Mike não responde de imediato, ele não esperava um questionamento desses ele então se levanta e pergunta:
— O que deseja?

O jovem sorri para ele, os dois estavam se olhando fixamente olhos nos olhos, e ele responde:
— Tenho certeza de que vocês se amam muito.

Mike novamente não esperava por isso, então a imagem de Cassie se faz presente em sua mente, ele se emociona com isso, ele então respira fundo e pergunta ao jovem:
— Desculpe, eu não ouvi o sabor que deseja.

O garoto, que não parava de sorrir para ele responde de forma jovial: – Eu acho que vou querer o sorvete de chocolate.
— Esse é o meu sabor favorito.

Mike então se abaixa, abre a tampa do carrinho e pega o sorvete solicitado pelo cliente, que imediatamente paga por ele. O garoto dá uma mordida no sorvete faz um rosto de imensa satisfação e diz:
— Nossa, mas que sorvete mais delicioso.

Após deglutir o pedaço ele volta a perguntar a Mike:
— Aonde você compra esse sorvete?

Mike se sentia estranho na presença daquele jovem, sua mente parecia funcionar de forma um pouco mais lenta, e após algum tempo ele responde:
— Minha esposa que os faz.

O jovem cliente se surpreende e diz a ele:
— Então a linda garota em quem você pensava é sua esposa!
— É lindo quando um casal se ama de verdade.
— Eu aposto que vocês fazem um lindo par.

Mike não responde, apenas olha para o garoto, os dois ficam assim por algum tempo, e após terminar o seu sorvete o jovem diz:
— Eu acho que nunca mais irei tomar outro sorvete que não o seu.

Os dois continuam a se olhar, e o jovem finaliza:
— Eu vou voltar para a praia.
— Seu sorvete é muito bom, ele é feito com carinho.
— Obrigado.

E se vira para sair, porém volta a olhar para Mike e diz:
— O dia está lindo, deixe se levar pela beleza da natureza.
— Olhe o dia como uma nova oportunidade de vida.
— Pensamentos bons trazem coisas boas.
— Se deixe contaminar pela vida que há na natureza.
— Normalmente isso tem poder de cura através de nossas mãos.

Essas palavras tocam Mike e ele olha com mais atenção para o jovem, a princípio aquelas palavras pareciam estar soltas, mas aos poucos elas começam a trazer para ele a imagem de Cassie, e isso o deixa confuso.

O jovem então diz a ele:
— Preciso ir, eu espero que você fique bem.
— Quando eu tiver vontade eu voltarei.
— E irei experimentar cada sabor de sorvete que sua esposa faz.

E se vira, mas antes que inicie a sua caminhada Mike pergunta a ele:
— Qual é o seu nome?

O jovem se vira para ele, aumenta a intensidade de seu sorriso e responde:
— Meu nome é Tom Croos.

E finaliza:
— Até mais Mike.

E caminha para longe dele.

Após perde-lo de vista Mike tem uma questão em sua mente:
— Mas como ele sabe o meu nome?
— Eu não falei isso para ele.

Ele chega a caminhar um pouco para ver se o via, mas ele já tinha sumido no meio daquela multidão.

Mike volta ao seu carrinho, senta no pequeno banco ao lado e sua mente voa para longe, e assim fica até o início da noite, quando ele se dá conta de que havia vendido todos os seus sorvetes.

Aquele dia as suas vendas tinham sido muito além do esperado, ele então recolhe o guarda-sol pega seu carrinho e volta para casa.

No meio do caminho ele para numa loja de comércio para comprar algumas frutas que serão convertidas em sorvete por sua esposa, em seguida ele volta para casa.

Assim que chega em casa Mike leva o carrinho até a garagem, faz uma limpeza geral nele, pega as frutas e vai para dentro de casa.

Ele encontra a sua esposa na cozinha, e assim que se vêm um lindo sorriso se faz nos seus rostos, ele vai até ela lhe dá um beijo e um abraço, em seguida ele pega no suporte do carrinho de rodas e a leva até a mesa, em seguida tira do bolso uma barra de chocolates e diz a ela:
— Trouxe o seu favorito.

Ela sorri e pergunta a ele:
— Veio mais cedo hoje ou eu estou equivocada com o horário?

Mike sorri e diz:
— Acabei vendendo tudo muito rápido.
— Incrível isso, nunca havia acontecido antes.

Então ele se lembra de que as vendas subiram muito depois da vinda daquele garoto chamado Tom Croos, e isso fica em sua mente, mas ele não fala nada para Cassie.
Ela come o chocolate então diz a ele:
— Toca aquela música para mim.
— Eu fiquei com ela o dia todo na mente.

Mike sorri, vai até ela lhe dá um beijo, em seguida pega o violão que estava em seu quarto, puxa uma cadeira fica de frente para ela, e inicia a música. Era uma música linda, de melodia romântica, que ele havia feito para ela no dia em que a pediu em casamento. Ele a compôs na época em que sonhava em ser músico, e que ainda conseguia tocar em alguns lugares a noite após trabalhar o dia todo numa empresa, onde tinha um cargo bom. Mas depois do acidente a vida dele e de Cassie mudou radicalmente, e o seu sonho em ser músico se desvaneceu e ficou no passado, no presente ele tinha que sustentar sua casa.

Ele a ajuda a fazer mais sorvete, depois ele a leva ao banheiro e a a ajuda a tomar banho, ela estava paraplégica, e não conseguia fazer certas coisas sozinha.

Após o banho Mike se ocupa em fazer o jantar deles, e assim que a comida estava pronta ele a ajeita na mesa, traz sua esposa para perto da mesa e a serve, em seguida serve a si mesmo e os dois começam a comer.

Em que pese o sorriso no rosto dos dois a tristeza pela situação de Cassie provocada uma profunda tristeza em seus corações, mas eles tentam não se deixar levar por isso, e tentam levar a vida da melhor forma possível. Os dois estavam cansados então vão para a cama.

Cassie logo adormece, porém Mike não conseguia dormir, seu corpo estava todo agitado, embora não houvesse razões para isso.

Ele se vira para um lado e para outro sem conseguir pegar no sono, então ele vai para a pequena sala, senta no sofá e fica ali tentando relaxar. Subitamente lhe vem à mente as palavras de Tom Croos:
— Pensamentos bons trazem coisas boas.
— Se deixe contaminar pela vida que há na natureza.
— Normalmente isso tem poder de cura através de nossas mãos.

Ele não sabe por que se lembrou disso, mas as palavras ainda eram incompreensíveis para ele, e aos poucos ele vai adormecendo, até que o sono lhe vem e ele dorme.

Mike sonha, sonha com o passado remoto, sonha com o dia em que ele e Cassie sofreram um terrível acidente:

Os dois levantaram cedo naquele dia, era sábado, ambos estavam iniciando as férias após um ano de casamento.

Eles trabalhavam na mesma empresa, tinham cargos bons e salários ótimos, eles tinham juma vida boa, tranquila, nada lhes faltava, tinham acabado de comprara aquela casa, pequena é verdade, mas ela era extremamente aconchegante, ela tinha apenas um quarto, mas quando decidissem que era hora de terem um filho eles se mudariam para outra maior.

Naquele dia eles iriam até uma ilha, ficariam ali por cerca de duas semanas, certam ente eles teriam momentos maravilhosos depois de um ano de trabalho intenso. Eles ajeitam as bagagens no carro entram nele e vão em direção ao píer, onde pegariam um barco que os levariam até a ilha.

Ambos estavam muito ansiosos por isso, conversam alegremente, pegam uma pequena estrada que os levará ao píer, mas assim que acessam essa rodovia um caminhão, totalmente desgovernado, avança sobre eles, e acaba colidindo com a frente do veículo onde o jovem casal estava.

Com o impacto o carro dos dois é jogado numa ribanceira e cai cerca de cinco metros parando numas pedras.

O resgate é acionado, quando chegam ao local onde o carro estava Mike é retirado com certa facilidade, porém Cassie estava envolta em ferragens, os bombeiros encontram sérias dificuldades para liberar ela das ferragens, e quando o conseguem ela apresentava uma lesão grande nas costas.

Os homens do resgate temiam que ela pudesse ter sofrido algum trauma mais sério na colune vertebral, então procedem à sua imobilização antes de seu translado para a ambulância.

Assim que os dois chegam ao hospital os médicos percebem que Mike não tinha sofrido danos muito graves, ele tinha uma fratura de fêmur que necessitava de uma cirurgia, e teve um trauma craniano leve.

Cassie por sua vez havia sofrido grandes danos na queda, ela sofreu um esmagamento de sua medula espinal e um trauma craniano mais severo que lhe causou uma fissura no crânio e um coma mais profundo.

Após várias avaliações os Neurologistas optam por não operar a coluna, e iriam esperar por mais avalições para decidirem o que seria melhor fazer, quanto à fissura no crânio ela se resolveria por si.

Além do trauma medular Cassie também sofreu um trauma craniano, que a deixou em coma, Mike consegue voltar a si após algumas horas, mas Cassie não dava mostras de que voltaria logo, seu quadro era mais delicado e mais grave.

Quando Mike “volta” e fica sabendo do que tinha acontecido com Cassie ele entra num desespero enorme, ele amava demais a esposa e, em que pese ele não ter responsabilidade nenhuma no acidente, ele se culpa pelo estado de saúde dela. Ele é operado, suas fraturas são corrigidas, então Cassie volta do coma, e os médicos constatam que ela tinha perdido os movimentos dos membros inferiores, isso causa um enorme choque em Mike.

Os dois ficam internados mais de um mês no hospital, sozinhos, faziam companhia um ao outro, suas famílias moravam longe demais, a recuperação total deles leva cerca de seis meses.

Por consequência desse afastamento a empresa que os empregava colocou outras pessoas nas funções que eles exerciam, assim ela os demite assim que retornam à vida normal.

De repente Cassie estava incapaz de se locomover sozinha e ambos estavam sem emprego e com parte de sua casa ainda a pagar.

A cidade não oferecia muitas oportunidades de emprego, os trabalhadores ficavam muito tempo trabalhando na mesma empresa, então Mike teve que procurar algo com que pudesse manter o sustento dos dois.

Mike, além da profissão, era um músico muito talentoso, porém estava iniciando a sua carreira, por causa dessa tragédia ele teve que abandonar a música, e como Cassie fazia um sorvete maravilhoso, receita que aprendeu com sua avó, essa foi a alternativa que ele teve para o sustento dos dois.

Uma vida que se descortinava como linda ensolarada e alegre se tornou em algo mais escuro e triste.

A vida seguia para os dois, mas de uma forma completamente diferente daquilo que eles desejavam.

Do Livro:
As Histórias de Tom Croos

Walter Possibom, São Paulo, SP, é escritor, guitarrista da banda Delta Crucis, e Livre Pensador.
Facebook: https://www.facebook.com/wpossibom/

Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários

Conteúdo Protegido. Cópia Proibida!