As Histórias de Tom Croos – Giggio & Giovanna – Capítulo 4

Compartilhe!

Walter Possibom


Naquele dia ela não tem fome, Giggio come sozinho, os pães não são assados, os clientes reclamam disso, o coração de Giovanna volta a ficar distante.

Ela senta naquela mesma cadeira de antes, só que agora ele fica olhando para a porta do armazém, ao invés de olhar para o chão.

Seus pensamentos ficam confusos, mas no meio daquela confusão ela vê Tom Croos sorrindo para ela, então ela se recorda de uma coisa que ele lhe disse pouco antes dele desaparecer:
— Você tem que ir atrás de seus sonhos, mesmo que haja barreiras entre você e eles.
— Principalmente quando as barreiras estão dentro de nossa mente.
— Muitas vezes os problemas surgem para nos fazer superar as nossas limitações e os nossos medos.
— Então jamais podemos desistir de nossos sonhos.

Naquele momento ela começa a perceber as coisas, ela começa a entender o que ele estava querendo lhe dizer, e fica pensando nisso o resto do dia, ela vai se deitar com essas frases do jovem garoto na cabeça, e logo pega no sono.

Ela acorda no dia seguinte diferente, a ansiedade que sentia no peito, no dia anterior, desapareceu, ela olha para o lado e vê Giggio dormindo, ela sorri para ele, levanta vagarosamente para não o acordar, e vai à cozinha, ali ela faz pão e café.

O marido acorda com o delicioso aroma e vai até ela, dá um beijo em sua esposa e os dois sentam para fazer o café da manhã, enquanto ela ajeita a cozinha Giggio vai abrir a mercearia.
De repente ele grita para ela:
— Giovanna, venha até aqui.

Ela atende ao pedido do marido, e quando ela entra no salão da mercearia ela vê Tom Croos, ele estava em pé na entrada da loja, assim que ela o vê ele diz:
— Me desculpe, mas levei mais tempo que imaginava para resolver os problemas do meu avô.
— Mas agora eu estou de volta.
— Eu estou sentindo o aroma do pão e do café, e eu estou faminto.

Giovanna sente uma imensa alegria em seu peito, abre um grande sorriso e diz a ele:
— Os pães assim como o café ainda estão quentes.
— Tem manteiga e queijo também.
— Vamos até a cozinha.

Ela alegremente leva o jovem para a cozinha onde ele faz o seu desjejum.
A alegria volta no rosto de Giovanna, ela fica perto do jovem Tom Croos o dia inteiro, mas frequentemente ela se aproxima do marido e lhe dá um beijo, parecia que os dois pareciam dois namorados.

Assim a vida volta ao normal, Giovanna parecia estar voltando aos poucos a sua normalidade, o que deixava Giggio muito feliz, Tom Croos, como sempre, vivia sorrindo, e conversava muito com Giovanna.

Certo dia ela começa a sentir-se com a barriga estranha, seu estômago parecia revirar de um lado para o outro, até que acaba vomitando.
Uma leve tontura a atinge naquele momento, ela nunca havia sentido nada igual, suas mãos pareciam estar inchadas, mas ela olhava para elas e as via como se estivessem normais.

A princípio ela não dá maior importância a isso, porém o quadro se intensifica e ela é obrigada a ir ao hospital, onde faz alguns exames.

Giggio aguardava ansioso na sala de espera enquanto sua esposa fazia os exames, após cerca de duas horas ele é chamado ao consultório, assim que chega a ele vê que Giovanna já estava lá sentada.

Assim que o médico chega ao consultório ele se senta, trazia consigo, alguns papéis, ele os examina em seguida olha para o casal sorri e diz:
— Parabéns, a Giovanna está grávida.

Os dois recebem a notícia de forma muito inesperada, eles ficam por alguns segundos sem saber o que dizer, então o cérebro começa a funcionar e eles compreendem o que estava acontecendo.

Os dois explodem numa alegria sem tamanho, as lágrimas escorrem pelo rosto dos dois, eles se abraçam, o médico diz:
— Agora é só seguir a gestação com um Obstetra.

E sai do consultório.

Os dois se abraçam, e em silêncio agradecem a Deus pelo presente.

Eles voltam ao armazém e contam a novidade para o jovem Tom Croos que fica muito feliz com a notícia.

A partir daquele dia os dois homens cuidam com todo zelo de Giovanna, eles não permitiam que ela fizesse esforço físico algum, Giggio volta a fazer os pães, mas desta vez eles saem muito parecidos com os de Giovanna.

A clientela do armazém percebe, pelo crescimento da barriga dela, de que Giovanna estava gravida novamente e todos ficam felizes com isso, ela recebe vários presentes deles o que deixa o casal muito feliz.

A vida estava dando uma reviravolta, a felicidade a Luz e a alegria volta àquele lugar de forma intensa, nem parecia que eles passaram por momentos ruins há tempos atrás, tudo estava superado.

A gestação caminhava muito bem, Giovanna faria o ultrassom onde ela poderia saber o sexo do bebê, os dois estavam muito ansiosos pelo resultado, naquele dia eles levantam extremamente felizes por isso, assim que Tom Croos chega eles vão ao hospital, e ao final dos exames eles ficam sabendo que se tratava de uma garota.

A alegria era imensa, ambos queriam ter primeiro uma garota, depois um garoto.
Eles voltam para casa e festejam junto a Tom Croos.

O frio estava ameno, o verão curto de vinte dias da cidade estava se aproximando, a gestação alcançava as suas trinta semanas, tudo se encaminhava bem, Giovanna estava sozinha com Tom Croos naquela tarde, Giggio foi fazer algumas entregas aproveitando o clima bom.

O armazém estava sem cliente algum, Giovanna olha para Tom Croos e diz a ele:
— Eu tenho que te fazer um agradecimento.

Ele olha para ela e sorri, Giovanna continua:
— E também pedir desculpas.
— O dia antes de você ter que resolver o problema de seu avô eu acabei sendo rude com você.
— O pior é que eu fui rude por uma verdade que você me havia dito.
— E que por essa verdade que você medisse, que não saiu de minha cabeça, eu acabei compreendendo as coisas e com isso eu engravidando novamente.
— E agora eu e Giggio voltamos a sonhar com algo que desejamos muito.
— Você foi como um Anjo de Deus, que veio até mim abrir os meus olhos.
— Se não fosse você eu ainda estaria fechada em mim mesma, e fazendo aquele a quem eu tanto amo infeliz.

Ela se levanta, vai até ele e o beija na testa e diz:
— Muito obrigado.

Tom Croos sorria e após ouvi-la ele diz:
— Vocês merecem ser felizes.
— Vocês não poderiam ser infelizes por causa de algo que é normal.
— Por algo que acontece a muitas pessoas.
— Eu me sinto muito feliz em vê-los felizes.
— E também por saber que desta vez tudo está indo bem.
— A vida é assim: ela tem altos e baixos.
— Momentos bons e momentos ruins.

Giovanna olhava maravilhada para aquele garoto, então diz a ele:
— Como pode um garoto tão jovem como você saber de tantas coisas?
— Afinal, quantos anos você tem Tom Croos?

Nesse momento entra um cliente na loja, os dois olham para ele, o garoto fala para ela:
— Depois falamos sobre isso, agora vamos atender ao cliente.
E esse assunto acaba sendo esquecido por ela.

A gestação ia muito bem, ela estava perto da trigésima oitava semana quando, assim que Tom Croos chega, ela começa a sentir um desconforto na barriga, o jovem olha para ela e diz:
— A jovem Martina está querendo vir ao nosso convívio.
— Acho bom vocês irem ao hospital.

Giggio olha para Giovanna e diz:
— Mas é apenas um pequeno desconforto.

Em seguida a bolsa se rompe anunciando que o bebê estava querendo sair.
Os dois correm ao hospital, e por volta da hora do almoço a linda Martina chega ao convívio do casal, Giovanna a tinha em seus braços, Giggio ao seu lado admirava a linda garota, a alegria que ambos sentiam era algo sem tamanho.

Após dois dias o casal volta para casa, são recebidos por Tom Croos, que tem o privilégio de pegar a linda Martina no colo e dar-lhe um beijo muito carinhoso.

Ele acaricia a testa da jovem olha para o casal e diz:
— Vocês foram abençoados por Deus com esta linda criatura.
— Com ela vocês serão muito felizes.
— E eu fico muito feliz ao saber disso.

Ele volta a olhar para a jovenzinha, então diz ao casal:
— Tem alguém na cozinha que quer falar com vocês.

Tom Croos se aproxima de Giovanna e devolve a pequena para o colo materno e o casal entra na cozinha, lá dentro estava Martini, e assim que eles entram ele se levanta, estava com os olhos cheios de lágrimas, o casal assim que o vê também se emociona.

Giovanna leva o bebê e o entrega ao colo do amigo, ele olha para Martina sorri e diz:
— Tem os olhos da mãe.
Ele então olha para eles e diz:
— Me perdoem pela minha ignorância.
— Mas saibam que eu amo muito vocês.

O casal então se aproxima dele e o abraçam. A vida deles decididamente voltara ao normal.

A alegria volta a frequentar aquele lar, a Luz agora era ainda mais resplandecente que antes, o sorriso se torna algo fixo no rosto de todos.

A pequena Martina era sorridente, mostrava-se ser um ser bastante calmo, mas tinha um apetite voraz, Giovanna fala:
— Seu lindo rosto é parecido com o meu, mas seu apetite é igual ao do pai.
Isso rende boas risadas de todos.

Tom Croos era o que mais ria dessas brincadeiras.

O domingo chega, a neve caia em grande volume, o frio lá fora estava intenso, poucas pessoas se atreviam a sair pelas ruas da cidade, o casal acorda mais tarde, ao lado da cama deles ficava a cama da pequena Martina, eles se esgueiram e ficam olhando a filha dormindo.

Então se viram e trocam um beijo, Giggio levanta e vai fazer o café, ainda havia pão do dia anterior, ele o corta em fatias e faz o mesmo com o queijo, ajeita a mesa e fica a espera da esposa.

Eles trazem o berço da pequena filha para o lado deles, e iniciam o desjejum. De repente ouvem uma batida na porta, Giovanna olha para Giggio e diz:
— Será algum cliente?
— Hoje nós não abrimos.

Giggio se levanta vai até a porta e nota que havia um envelope de carta por debaixo da porta, ele pega o envelope e nada estava escrito nele, Giggio abre a porta e constata que não havia ninguém lá fora, e o mais estranho era que ele não consegue ver sequer os rastros de quem possa ter feito essa entrega.

Ele volta à cozinha e mostra o envelope à Giovanna, ela pega o envelope e dentro dele havia uma carta, nela estava escrito:

Oi pessoal

Saibam que vivi os melhores momentos de minha vida ao lado de vocês.
Eu agradecia todos dias a Deus por me ter permitido conhecer vocês.
Cada dia para mim foi de ensinamento e de amor, vindo de vocês.
Eu notei que vocês estavam tristes, e que a vida não seguia como devia.
Mas aos poucos eu vi a Luz voltar ao lar de vocês.
Eu percebi a mudança que Giovanna sofreu, e de sua retomada à vida normal.
Ela finalmente compreendeu tudo.
E consequente toda a mudança ocorrida nesse lar bendito.
É assim que as coisas devem ser.
As lições servem para ser aprendidas.
Vocês são duas pessoas maravilhosas que merecem ser felizes.
Jamais se deixem levar pelos obstáculos e pelas lições que a vida nos dá.
Tudo acontece como uma oportunidade de aprendizado.
E de crescimento.
Agora vocês têm a linda Martina.
Vocês foram abençoados com a vinda dela.
Sigam a vida felizes.
Que a vida lhes será feliz.
Eu estou voltando para minha cidade junto com meu avô.
Assuntos emergentes nos chamam.
Obrigado pelos pães, eles eram maravilhosos.
Obrigado pelo carinho, ele aqueceu o meu coração.
Obrigado pela acolhida, ela acalentou a minha alma.
Obrigado por tudo.
Eu amo a todos.
Quem sabe um dia voltaremos a nos encontrar?
Um beijo carinhoso aos três.

Tom Croos

Giovanna com Martina em seu colo, ambas ao lado de Giggio, vão à janela da loja e olham a neve caindo, uma lágrima escorre no rosto do casal, pela saudade e pela gratidão àquele garoto que um dia veio, mudou a vida deles e se foi, mas que ficou no coração deles deixando uma valorosa lição de vida.

Do Livro:
As Histórias de Tom Croos

Walter Possibom, São Paulo, SP, é escritor, guitarrista da banda Delta Crucis, e Livre Pensador.
Facebook: https://www.facebook.com/wpossibom/

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários