A Arca do Barata – Vigor Sim, Violência Não – O Som Pesado da Era Pré-Internética

Compartilhe!

Barata Cichetto


Pesado mesmo era o som da Era Pré-Internética. Basta escutar “Honey Hush” do Foghat, “Lights Out” do UFO… Basta escutar Rush, Cream, Mountain e, é claro o Rei de Todos os Pesados, Mas Que Voa: Led Zeppelin.

Tem também um som extremamente pesado feito por uma banda muito bem comportada, criadora de baladas que ao longo do tempo, e até bem depois da Era Pré-Internética, embalaram “corações solitários” namoros às estrelas etc. Escutem “Helter Skelter” dos Beatles feita e gravada em 1969 e aprendam o que é Rock Pesado. Sintam o baixo e os “berros” de Paul McCartney e a guitarra ensandecida de George Harrison e John Lennon. Até a bateria de Ringo Starr, normalmente bem xoxinha, soa forte. Aliás o “Álbum Branco” dos Beatles soa bem mais pesado, no conjunto que seu “antônimo”, o “Black” do Metallica, uma banda muito, mas muito pesada… Que de tão pesada não consegue sair do chão.

Espantado? Sim, amigo, porque a sua confusão é a da maioria: confundir som pesado com coisa simplesmente barulhenta. Barulho não é música nem na casa do … Barulho é barulho, música é música. Rock Pesado é Rock Pesado, e é preciso saber bem a diferença. Senão a gente corre o risco de comprar gato por lebre. Ou barulho por música.

Portanto, deseja escutar Rock Pesado: escute aquele feito em nossa Era Pré-Internética: escute “Interestellar Overdrive” do Pink Floyd, escute “With a Little Help´From My Friends”, dos Beatles mas gravada por Joe Cocker; escute “Down On Me”, da Janis Joplin; escute qualquer coisa de Lour Reed… E principalmente escute qualquer coisa, absolutamente qualquer coisa, do Jim Hendrix… Enfim, existe um som muito pesado, sem necessariamente uma bateria espancada mas tocada com fúria; sem um baixo estuprado mas tocado com tesão; uma sem uma guitarra espremida e esganiçada mas tocada com garra e técnica; e finalmente sem um vocal parecido a roncos de motor com pistão batendo. O peso está na moldura, o peso está no vigor. Aliás esta é a real diferença entre o verdadeiro Som Pesado e o Barulho. É como no sexo, é preciso vigor, não violência.

Enfim, conheça o verdadeiro som pesado, aquele feito na Era Pré-Internética, uma era em que ser pesado era ser vigoroso, e não violento. O resto é simplesmente a trilha sonora do esporro. Da foda… Mal dada!

10/19/2008

Barata Cichetto, 1958, Araraquara – SP, é poeta, escritor, tem uma arca na cabeça. Criador e Editor do Agulha.xyz e  Livre Pensador.

5 1 Vote
Avaliação do Artigo
Assinar
Notificar:
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários